quarta-feira, 6 de julho de 2011

Por vezes a terra treme

Canto, canto, os desafortunados,
Os pobres de espírito, os fúteis,
Os medrosos, os covardes,
Os mentirosos, os preguiçosos,
Os melados, os maricas,
Os poetas, fugitivos,
Os parolos, os cativos,
Os doentes, os falhados;

Enquanto os que assim canto,
Existem e são vivos,
O mundo segue o seu castigo
Revestido de cores bonitas;

Enquanto os milhares se banham
Numa orgia de conceitos
Desfaço-me em frases feitas
E melodias decalcadas,

Mas por vezes a terra treme...

2 comentários:

Helen De Rose disse...

Gostei de ler, sorte e sucesso.

Alberto Colima disse...

Muito agradecido