terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Retrato

Observo o teu perfil e o teu andar
Teu globo azul que cobre a retina
O teu corpo feito de água e albumina
Com massa adiposa a resguardar,

As veias que se perdem a irrigar
Qual mapa infinito de uma mina
Ruborescem tuas faces de menina
Reflexo sensorial ao meu olhar,

E a forma retraída neste instante,
Desenha tua boca em esplendor
Como se recusaras, qual farsante,

Que oferece logo tudo sem rancor.
Mas sabes, filha, cago no amor,
E em todos os despojos de amante.

6 comentários:

Fräulein Else disse...

Não cague nada no amor! Vá! Sabe que as meninas gostam de se fazer de difíceis. :)

Galhada-Man disse...

;-)mmmm Eu sabia que esta não lhe ía escapar Fraulein! Está-se a tornar previsível)))

Fräulein Else disse...

Ya, eu sou muito básica, Galhada-Man. Sou uma menina. ;)

Galhada-Man disse...

Tou barado consigo Fraulein! Isto era uma tentativa de anti-soneto, por um lado, em relação à temática clássica; por outro lado, através da decomposição dos sujeitos em elementos bioquímicos. Mas não pense por isto que sou anti-amor. Aliás, é certo e sabido para todos os que me conhecem, que sou um big fan of love. Olhe, inspirei-me numa conçoneta do JP Simões. Então como vai esssa peregrinação Napolitana?

Aveugle.Papillon disse...

Barado?
Caro, isto era uma tentativa de anti-comentário: nem pretensa crítica literária, nem bajulação gratuita. Era uma provocação ad hominem. ;)
Nos dias passados fiz uma peregrinação siciliana, muito prazenteira: Siracusa é linda! :)

Galhada-Man disse...

Meu Deus! Foi exactamente o que achei quando visitei a Sicília! Siracusa é linda, e ainda mais as meninas de Siracusa. Visitou o Oráculo? Terror... Agrigento também ,mas só a antiga ;) Porto de Empédocles é espectacular. Consegui arrendar lá por algumas noites uma casa arrombada)))