sábado, 12 de janeiro de 2008

Acabaram-se os poetas!Mortos! Funestos em horas prozaicas,Poetas...loucos disfuncionais
Morte, parasitas;
Não mais vidas malogradas,
Não mais soldado desconhecido,
Não mais guerra clássica;
Vidas de cento e trinta anos ou mais...Mas não poetas,
Elogio de gente viva e sã---viva e seja consagrada
Poetas já não somos, mas apenas sono sem sonhos

Um comentário:

thulox disse...

De vez em quando é preciso - só - dormir.